Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MANUAL DA MODA

Para Mulheres (im)Perfeitas

MANUAL DA MODA NA REVISTA ACTIVA

Já não é segredo para ninguém o que fomos fazer a Lisboa a convite da revista Activa. Nós só não sabíamos que a maninha mais velha ia ser a capa. Uau! Uma honra poder representar todas as mulheres com curvas, que gostariam se se sentir bem com elas próprias, mas que a sociedade não deixa. Foi um grande passo para nós, para a revista e para a mudança de muitas mentalidades ou, pelo menos, assim esperamos.
 
O trabalho de toda a equipa foi fenomenal e tudo correu de forma tão descontraída, até a entrevista, que acabamos sem saber muito bem o que dissemos e fizemos. Foi tudo tão espontâneo! O pior foi a ansiedade de ver o resultado. E que ansiedade! 
 
Emília
Mal o dia em que a revista estaria nas bancas chegou, comecei a receber as primeiras mensagens e percebi que tinha de a comprar imediatamente. Inicialmente, eu iria receber uma na loja, mas por causa do feriado municipal de Matosinhos, não consegui. Não dava para esperar mais! Sabia que não podia ler tudo, porque pediram-me para fazer um video com a minha reacção, mas foi mais forte do que eu. Eu sempre fui a menina que tinha de abrir as prendas de Natal antes do dia. Abri-a só para espreitar e ler o primeiro parágrafo. Só que a Cintia escreve tão bem, que o primeiro parágrafo transformou-se na primeira página e eu, quando dei por mim, estava lavada em lágrimas no café. Eu que raramente descontrolo-me em público... Foi muito emocionante!
 
Carla
Eu só ia conseguir comprar a revista ao almoço e quase morri até lá! Recebia as notificações sem parar e estava a ficar maluca com tantos comentários. Perguntei à minha irmã pelo messenger se já tinha comprado a revista. Ela disse que sim. Perguntei se tinha lido tudo. Ela disse que não, mas que já tinha chorado perdidamente! Fiquei ainda mais ansiosa. "E a minha parte leste?" Ela não leu, mas mandou-me um print. Chorei! Em pleno trabalho... A tentar disfarçar a minha falta de profissionalismo, mas não aguentei. Ao contrário da minha irmã, eu choro muito facilmente, esteja onde estiver e com quem estiver. Choro de alegria. Choro de tristeza. Não sou picuinhas, mas este choro foi diferente... Não dá para descrever a emoção! Ela veio ter comigo ao almoço, onde eu iria comprar a revista e aí vimos juntas, pela primeira vez, tudo na íntegra. Este é o resumo da nossa reacção. Nota: Cuidado com o volume do vídeo. Ahahah!
 
 

 

 

Não há palavras para agradecer esta oportunidade! Todas parecem pequenas... Mas um enorme obrigada à revista, a toda a equipa e a todas as meninas desse lado que manifestaram tanto carinho por esta iniciativa pela valorização da mulher real.

 

Beijinho,

Emília e Carla

Comentar:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.